30/06/2006 "A Bola" (online)
Villar Mir dá até 65 milhões para ver Cristiano no Real

Pode estar perto a grande transferência do defeso que, em termos de valores envolvidos, será a segunda maior contratação de sempre, batida somente pela de Zidane, da Juventus para o... Real Madrid. A BOLA sabe que Villar Mir, um dos cinco candidatos à cadeira da presidência merengue, está disposto a chegar até aos 65 milhões de euros (qualquer coisa como 13 milhões de contos na moeda antiga) para ter Cristiano Ronaldo como figura de cartaz da sua lista que vai a sufrágio no domingo.

A concretizar-se a transferência por estes valores o menino maravilha entra para o segundo lugar da lista das mais caras contratações de sempre (ver caixa), suplantado apenas pelo pré-reformado Zinedine Zidane que, em 2001, foi transferido por, sensivelmente, 67,1 milhões de euros, da Juventus para o Real Madrid. Cristiano Ronaldo relegará, assim, Luís Figo para o terceiro lugar do pódio de sempre e ultrapassará o médio do Inter no ranking da mais choruda transacção de um futebolista português: o capitão da Selecção Nacional trocou o Barcelona pelos merengues por 59,8 milhões (12 milhões de contos), em 2000. O madeirense deixará também para trás Shevchenko na tabela deste defeso: o ucraniano abandona o Milan por 50 milhões para ser treinado por José Mourinho no Chelsea.
Villar Mir e o piloto espanhol Carlos Sainz, seu parceiro de lista que já foi bicampeão do Mundo de ralis, por enquanto têm mantido apenas conversações com Jorge Mendes, empresário e fiel depositário da vontade do jogador em representar a equipa de Madrid nos próximos quatro anos e a troco de um contrato superior a quatro milhões de euros anuais, livres de impostos. Anteontem, o diário Marca fotografou mesmo um desses encontros que decorreu numa das empresas de Villar e nas proximidades de um notário...

Villar quer acordo

Agora Villar terá, pois, de convencer o Manchester United a vender o prodígio da Madeira. É intenção de Mir não entrar em litígio com os red devils e procurará que se afaste o cenário de rescisão unilateral e possível indemnização. Mas Manchester não dá sinais de quererem ver fugir Cristiano. Depois de, através de comunicado oficial, terem lembrado que o internacional luso renovou em Novembro até 2010 e manifestado a intenção de o continuarem a ver, esta temporada, com a camisola do clube da cidade industrial, ontem foi a vez de Alex Ferguson tomar posição.
«Ao longo dos anos, os candidatos à presidência do Real Madrid têm envolvido clubes como o nosso. Prometeram comprar meia dúzia de jogadores nas últimas semanas, incluindo Ronaldo e Fernando Torres, do Atlético Madrid. Já vou estando habituado, é apenas conversa para ganhar votos» atirou o treinador do Manchester, que garante: «Não há qualquer problema com o rapaz e não espero que possa vir a verificar-se.» O tablóide The Sun avançou, também ontem, que Carlos Queirós, adjunto de Ferguson, poderá deslocar-se a Alemanha para tentar, depois do jogo contra a Inglaterra, convencer Cristiano que o melhor para o seu futuro é permanecer em Inglaterra.
Não vai ser fácil convencer o número 17 de Portugal a desistir do «sonho» de jogar no Real Madrid. O madeirense pediu opinião a alguns companheiros do Manchester e da Selecção que lhe aconselharam a aceitar Madrid pelo peso da lendária camisola, pela possibilidade de disputar um campeonato mais competitivo. Aliás, Cristiano quer o Real e os candidatos do Real querem-no, tendo os outros concorrentes inclusive contactado Jorge Mendes. É o caso da lista do advogado Ramón Calderón, cujo treinador escolhido é Fabio Capello e homem forte do futebol Mijatovic, que avançará para o internacional português caso vença.