28/06/2006  "A Bola" (online)
À espera de Ronaldo

Uma Selecção, um País, à espera de Cristiano Ronaldo. Lesionado na partida com a Holanda do passado domingo, depois de uma entrada violenta de Boulahrouz, o extremo do Manchester United encontra-se ainda a recuperar de um hematoma na coxa direita. Ontem, nem sequer foi ao relvado, ficando a trabalhar no ginásio com o fisioterapeuta António Gaspar.

Anteontem, o médico Henrique Jones dava conta de que Cristiano Ronaldo tinha «80 por cento de possibilidades» de defrontar a Inglaterra, no próximo sábado. O facto de no treino após o regresso da folga Cristiano Ronaldo nem sequer se ter deslocado ao relvado em nada altera a previsão.
Com um hematoma na coxa direita, depois de falta sofrida aos sete minutos no jogo com a Holanda, que lhe provocou muitas dores — aguentou quase meia hora, participou na jogada do golo, mas acabaria por ser substituído ainda na primeira parte, por Simão —, a recuperação não pode ser apressada.Hoje, tudo indica que Cristiano Ronaldo volte a trabalhar apenas com os fisioterapeutas, de novo sem bola. Amanhã, se tudo correr como se espera, poderá então ser integrado no trabalho da equipa.

Miguel poupado

Depois de treino na manhã imediatamente a seguir ao jogo com a Holanda, os jogadores da Selecção puderam, finalmente, gozar algumas horas com a família. Às 23 horas, no entanto, todos tiveram de regressar. E às 17 de ontem houve treino.
Os jogadores mais utilizados no encontro de Nuremberga tiveram direito a trabalho diferenciado: Miguel, Fernando Meira, Ricardo Carvalho, Nuno Valente, Maniche, Deco, Figo, Simão (entrou ainda na primeira parte), Pauleta e Petit (45 minutos cada um) começaram com corrida ligeira, seguida de uma sessão de futevólei. À qual se juntou Ricardo e na qual não esteve Miguel.
O lateral-direito acabou o jogo com a Holanda esgotadíssimo e ontem acabou por ser poupado ao trabalho com bola. Fez apenas um pouco mais de corrida e alongamentos. Uma gestão do esforço feita de acordo com o estado e as características dos jogadores.
Para estes atletas, o treino durou menos de uma hora. Alguns ainda ficaram a recriar-se com bola e Pauleta foi chamado para exercícios de finalização, com Ricardo na baliza e o preparador físico Darlan Schneider (depois substituído por Maniche) a cruzar.
Do outro lado do relvado, os restantes oito jogadores presentes (Costinha incluído, ele que foi titular, mas acabou expulso ainda na primeira parte) fizeram trabalho físico mais aturado, com corrida forte durante vinte minutos, enquanto Quim e Paulo Santos se preparavam às ordens de Brassard
Depois, uma partida de cinco para cinco, sob o olhar (e a contagem de marcador) de Luiz Felipe Scolari. Por esta altura, já o sol espreitava por entre as nuvens, depois da chuva que caíra sobre o relvado, e já o termómetro passava dos 20 graus, depois de um amanhecer bem frio.